banner

Destaques

Sindasp-RN rebate declarações da Sejuc sobre escala de trabalho dos Agentes Penitenciários


O Sindasp-RN repudia as informações divulgadas pela Secretaria de Justiça, no programa Patrulha da Cidade, sobre a escala de trabalho dos Agentes Penitenciários. A presidente do Sindicato, Vilma Batista, ressalta que a atual gestão da Sejuc teve sorte de contar com investimentos federais e apoio do Governo em suas ações, mas nada disso seria exeqüível sem a participação efetiva dos servidores.

"É importante lembrar que os Agentes Penitenciários abraçaram a missão de reestruturação do Sistema, por isso, não entendemos a mudança de comportamento dessa atual gestão, que tem deixado de lado a gestão de pessoa. Os servidores estão sendo submetidos a situações desumanas e a constrangimentos nas unidades prisionais, inclusive, sendo alvo de ações administrativas", ressalta.

De acordo com Vilma Batista, os Agentes não estão tendo direito a gozar o horário de descanso durante o serviço. "É desumano um servidor trabalhar 24 horas, sem ter horário para almoço, sem ter horário de descanso, já que os Agentes que estão trabalhando no plantão, praticamente, das 24 horas só têm 2 horas de repouso durante a madruga e sem conseguir fazer suas necessidades básicas. Desta forma, os novos agentes estão também submetidos a uma escala de expediente que compromete a saúde física e mental, além de ultrapassar a carga horária de 40 horas semanais. É desgastante e humilhante essa situação".

A presidente do Sindasp-RN afirma ainda que os Agentes Penitenciários também sofrem com sobrecarga de trabalho. "Temos uma profissão de alto risco, com incidência de estresse. Trabalhamos em condições altamente insalubres, com risco constante de doenças infectocontagiosas e sem os equipamentos de proteção individual necessários. Então, a Sejuc precisa entender que a reestruturação do Sistema não é apenas aplicação de cursos ou de disciplina nas unidades. É preciso ter capacidade de desenvolver gestão de pessoas", destaca Vilma Batista.

Ela completa: "A Sejuc tem que se preocupar também com as condições dadas aos servidores, pois nossos alojamentos estão um caos, só não são piores porque os Agentes, com sacrifício, compram material com dinheiro do próprio bolso. No PEP e em Mossoró, por exemplo, não há transporte para levar os servidores para o local de trabalho, a alimentação é fornecida de favor e os Agentes ainda têm que a desvalorização".

O Sindasp-RN, em nome de todos os Agentes Penitenciários, pede respeito para a categoria, lembrando que a crise instalada nos anos anteriores foram contornadas graças a abnegação e força de vontade dos servidores penitenciários do Rio Grande do Norte, pois nem mesmo o material adequado para combater as crises eram fornecidos pelo Estado.

"Foram os Agentes Penitenciários que tomaram conta das unidades em todo o Estado. Esperamos que o secretário de Justiça reflita que sozinho ele não consegue fazer nada. A categoria tem abraçado a causa e quer um sistema melhor, mas também quer dignidade, respeito e quer ser valorizada", finaliza Vilma Batista.

Tecnologia do Blogger.